A tendência das Olimpíadas sustentáveis

As Olimpíadas aconteceram em julho, as paraolimpíadas ainda estão acontecendo e contam com a maior participação feminina de toda a história da competição, além de destacar a sustentabilidade e novas modalidades esportivas.

Tóquio busca equilibrar o impacto ambiental.

Os próprios locais das competições foram construídos temporariamente com madeira reciclada e serão desmontados, evitando deixar prédios abandonados, como ocorreu em outros Jogos.
Assim o Estádio Olímpico que recebeu os Jogos em 1964 teve sua estrutura reformada e, para Tokyo 2020, recebeu projeto arquitetônico assinado por Kengo Kuma. Já os pódios foram feitos em  impressoras 3D a partir de resíduos plásticos.
Inclusive o local onde os atletas dormem (em suas camas de papelão), a Vila Olímpica, será um complexo de apartamentos após o fim dos eventos e seguirá com parte de sua energia sendo gerada por células de combustível de hidrogênio. Além disso, carros elétricos transportam competidores e jornalistas pela cidade.

A tendencia das olimpiadas sustentaveis - rbm residuos
O Japão vem apresentando ideias e ferramentas como forma de deixar um legado de bons exemplos para as futuras edições dos Jogos, destacando-se as tão desejadas medalhas, criadas pelo designer Junichi Kawanishi e produzidas com materiais recicláveis extraídos de aparelhos eletrônicos usados como notebooks, câmeras digitais e videogames, todos doados pela população.
Além disso os uniformes da delegação japonesa também contaram com a contribuição da população. 

Sendo 100% sustentáveis, foram feitos com um tipo de poliéster reciclado de peças também doadas pelos japoneses ao longo do ano de 2019.

Quando uma fabricante japonês de itens esportivos espalhou pelo país alguns locais de coleta para doação de roupas velhas e, a partir delas, a marca criou itens que possuem alta tecnologia para controle de calor e diversidade, já que ao mesmo tempo que de longe parecem iguais, de perto é possível notar que cada peça possui um desenho único das linhas costuradas. Segundo os criadores, uma maneira de dizer que, embora todos sejam iguais, cada atleta é único.

A organização do evento definiu cinco temas principais para assegurar a sustentabilidade:

  1. O primeiro é Mudança do Clima, com a promessa de promover a economia de energia e o uso de energia renovável “o máximo possível”, almejando a meta de carbono zero.
  2. O segundo tema é a Gestão de Recursos, por meio da redução, reuso e reciclagem, mirando o desperdício zero.
  3. O terceiro tema é o Ambiente Natural e Biodiversidade, que busca a harmonia entre o meio ambiente e atividade humanas. Os Direitos Humanos, Trabalho e Práticas Comerciais Justas também são um tema abordado pela organização.
  4. O quarto trata da busca pela participação e colaboração de toda sociedade a partir do Envolvimento, Cooperação e Comunicações (Engajamento). Por fim, a organização elaborou um Código de Compra Sustentável para garantir a sustentabilidade de produtos e serviços adquiridos, bem como produtos licenciados.

A próxima cidade sede dos Jogos, Paris, já recebeu a bandeira Olímpica e se prepara para seguir a agenda sustentável com grandes promessas.

O objetivo de Paris é ser o primeiro grande evento esportivo a impactar positivamente o clima.

Para isso, as emissões causadas pelos Jogos serão reduzidas pela metade. Além do fato que a compensação das emissões de carbono deverá superar a quantidade daquela gerada pelo evento.
Paris irá construir apenas duas locações para os Jogos. Assim, 95% dos locais já existem ou serão temporários. A cidade luz quer dar destaque à riqueza da arquitetura francesa, transformando os marcos de Paris em estádios esportivos

2 Responses to A tendência das Olimpíadas sustentáveis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.